Em audiência com Sintep-MT, prefeitura de Carlinda concede reajuste de 18.9% a Educadores


A implementação de 18.9% de reajuste nos salários de educadores deve ocorrer já na folha de janeiro de 2022.

Publicado: 17/11/2021 16:44 | Última modificação: // :

Escrito por: Assessoria/Sintep-MT.

Sintep-MT

A audiência entre representantes do Sindicato dos Trabalhadores no Ensino Público de Mato Grosso (Sintep-MT) e a prefeita do município de Carlinda, distante 750 Km de Cuiabá foi realizada na manhã desta quarta-feira (17) e trouxe avanços significativos na pauta de reivindicações dos educadores.

O Secretário de Redes Municipais do Sintep-MT, professor Henrique Lopes apresentou as cobranças da categoria quanto aos reajustes salariais e achatamento na remuneração dos trabalhadores da educação. A prefeita, Carmen Martinês, recebeu as reivindicações e fez o compromisso de garantir a implementação de 18.9% de reajuste nos salários de educadores já na folha de janeiro de 2022.

“As negociações aqui em Carlinda avançaram muito. O resultado dessa audiência, posso dizer, foi satisfatório. Na mesa de negociação, a prefeita assegurou que partir de 5 de janeiro, em função da melhora da arrecadação do município, irá implementar a recomposição salarial da categoria. Ficou estabelecido ainda que a nova recomposição do piso será debatida a partir dessa data já para o ano seguinte”, disse Henrique.

Outro ponto de discussão na audiência entre Sintep-MT e prefeitura, foi o redimensionamento de matrículas imposto pelo governo do estado. Quanto a isso, a gestora também fez um compromisso em não receber as matrículas da rede estadual. “Nós fizemos uma apresentação detalhada sobre os impactos que podem vir sobre os municípios que aceitarem essa demanda do ensino fundamental do Estado, nos próximos anos. A prefeita entendeu que o município não tem condições de receber essas matrículas e disse ter planos de melhoria para o atendimento da Educação Infantil, que é a prioridade de atendimento das prefeituras conforme disposto na LDB”, disse.

O dirigente do Sintep-MT também participou de uma reunião com gestores da prefeitura de Ipiranga do Norte. No município, a pauta ainda precisa avançar. “Os educadores desse município tinham um plano de carreira que a partir de 2009 passou a ser totalmente desconfigurado pela gestão e a recomposição salarial para esses trabalhadores está congelada já há um bom tempo”, disse Henrique.