Sintep/Nossa Senhora do Livramento avança na consolidação do Piso Salarial Profissional


Profissionais devem continuar a pressão para consolidar o cumprimento da negociação encaminhada e assim atingir o valor do PSPN

Publicado: 21/06/2022 18:28 | Última modificação: // :

Escrito por: Roseli Riechelmann

Sintep-MT

Os profissionais da educação de Nossa Senhora do Livramento apontam avanço nas negociações para o cumprimento do Piso Salarial Profissional Nacional (PSPN). Em reunião realizada ontem (20/06), com administração municipal foi apresentada a proposta de pagamento imediato de 11%, do percentual do PSPN, e outros 11% para serem negociados ainda este ano. O total de 22% de reajuste chegaria próximo ao valor do piso nacional, contudo, não efetiva a recomposição de 33,24% assegurada pela legislação (11.738/2008). 

Segundo o presidente da subsede do Sindicato dos Trabalhadores do Ensino Público de Mato Grosso (Sintep-MT), no município, Edson Gonçalo de Aquino, a categoria aprovou a proposta, mas ficará faltando um percentual do qual não abre mão, a ser pago ainda em 2022. “Continuaremos mobilizados e dia 4 de julho voltaremos a cobrar, em nova reunião, um calendário de pagamento até dezembro, para o cumprimento dos 11,23% que faltam para atingir o valor do piso nacional”, afirma.

A audiência na prefeitura contou com a participação do diretor regional, Ricardo Assis, e do presidente do Sintep-MT, Valdeir Pereira. “A prefeitura informou que aplicará R$ 10 milhões para pagamento de salários, o que equivale a mais ou menos 11%. Mas ainda é preciso assegurar os 11,23% restantes, que devem ser pagos em 2022”, alertou Valdeir Pereira. 

Durante a audiência, que havia sido marcada há quase um mês, os profissionais da educação se mantiveram no paço municipal aguardando os encaminhamentos. O ato programado teve um dia de paralisação na rede municipal seguido de Assembleia Geral, para avaliação imediata da proposta.
“Decidimos que, caso a gestão não aceite estabelecer um calendário para pagamento dentro das condições que a categoria apresentou, entraremos em estado de greve”, concluiu o dirigente municipal.