Sintep-MT debate com trabalhadores de Nova Xavantina os desafios da educação em MT


Seminário sobre Redimensionamento imposto pelo governo Mauro Mendes e o Novo Fundeb integra a agenda de lutas contra o desmonte da educação pública

Publicado: 29/11/2021 11:37 | Última modificação: // :

Escrito por: Assessoria/Sintep-MT

Sintep/Nova Xavantina
Reunião em Nova Xavantina entre secretário de Redes Municipais do Sintep-MT, Henrique Lopes, e dirigentes da subsede

O descontentamento dos trabalhadores da educação com o achatamento do poder de compra dos salários ganhou foco nos debates sobre Novo Fundeb (Fundo de Manutenção e Desenvolvimento da Educação Básica e de Valorização dos Profissionais da Educação) e desafios da educação pública. A atividade realizada em Nova Xavantina (653 km leste da capital, Cuiabá), durante a semana (22/11 a 26/11) integrou a agenda de trabalho, dos dirigentes estaduais do Sindicato dos Trabalhadores no Ensino Público de Mato Grosso (Sintep-MT), Henrique Lopes e Ana Lúcia Antônia. 

Em Seminário que tratou também sobre Redimensionamento, via decreto estadual 723/2020, o secretário de Redes Municipais, Henrique Lopes, esclareceu sobre possível sobra de recursos do Fundeb. Conforme o dirigente, se ocorrer sobras devem ser destinadas à valorização dos profissionais. A informação trouxe ânimo para os educadores, em especial da rede estadual que há três anos está com os salários defasados devido a calotes do governo Mauro Mendes.

A secretária geral da subsede do Sintep/Nova Xavantina, Clizeide Magalhães, relata que os trabalhadores estão desanimados com tanto retrocesso. A dirigente, que é Técnica Administrativa Escolar, almeja a realização do Profuncionário, curso profissionalizante, que assegura a qualificação e a valorização salarial. “Os funcionários estão sem perspectivas de valorização com três anos sem recomposição e sem acesso a qualificação, suspensa pelo governo do estado (profuncionário)”, afirma.

Outro ponto polêmico elucidado pelos dirigentes estaduais foi sobre o Processo Seletivo. O Sintep-MT é contrário ao modelo de seleção privatista para contratos temporários, apresentado pelo governo. "Defendemos que respeite as defesas históricas da categoria, com base na legislação (LC 049/98)”, destacou Henrique.
Clizeide ressalta o descontentamento dos profissionais com o seletivo, não se trata da realização das provas, mas sim, pelos critérios destacados no Edital. Conforme ela, desconsideram o tempo de serviço dos profissionais e a experiência de anos de atuação nas escolas com a comunidade escolar.  

Os debates sobre Redimensionamento e Novo Fundeb prosseguem para outros municípios do estado, numa agenda de mobilização e esclarecimento à categoria. “O objetivo é fazer a resistência e reavivar a luta por direitos, que sistematicamente estão sendo atacados pelos governos”, conclui a dirigente, Ana Lúcia Antônia.