Primeiro dia da CONAPE-MT traz debates sobre os desafios da educação pública no país


A Conferência registrou mais de 700 inscritos para participar das discussões do primeiro dia do evento

Publicado: 24/11/2021 16:28 | Última modificação: // :

Escrito por: Assessoria/Sintep-MT

Sintep-MT

A Conferência Nacional Popular de Educação (CONAPE), etapa Mato Grosso, reuniu delegados e delegadas do Fórum, além de representantes da sociedade civil, estudantes, comunidade escolar, autoridades políticas e dirigentes de entidades sindicais, Unemat, União dos Estudantes, dentre outros.

Foram Mais de 700 inscritos para participar das discussões que, neste primeiro dia, giraram em torno dos principais desafios colocados diante da educação pública brasileira e do processo de redemocratização do ensino.

Sintep-MT
Heleno Araújo, Presidente da CNTE

O presidente da Confederação Nacional dos Trabalhadores no Ensino (CNTE), Heleno Araújo participou da abertura da CONAPE e parabenizou a participação efetiva dos envolvidos na construção desse projeto de educação que, mais do que nunca, se mostra complexo e desafiador. “Nossas digitais, nossas lutas, tudo que diz respeito aos avanços que conquistamos através do Plano Nacional de Educação em 2014, vem sendo brutalmente atacado nesse pandemônio que se instalou em nosso país”, disse.

Ele reforçou ainda a relevância da realização da CONAPE nos estados. “Esses debates são uma oportunidade de construirmos algo para somar à conferência nacional que será realizada em Natal, em 2022. Precisamos definir coletivamente esse projeto”, destacou Heleno.

A deputada federal de Mato Grosso, professora Rosa Neide (PT), também somou nas discussões e citou a representatividade do Fórum Popular, que se contrapôs ao que o governo transformou o Fórum Nacional, que passou a ser desrespeitado e tendo apenas papel figurativo. “Estamos vivendo um momento triste na história política no país. Temos um governo que se coloca como inimigo da educação, inimigo do servidor público. Então estamos aqui no parlamento fazendo a resistência e a realização da CONAPE etapa estadual é mais um gigante que se levanta nessa defesa pela educação pública de qualidade”, enfatizou a deputada.

Pautas como a falta de financiamento da educação pública, a desestruturação do quadro funcional nas universidades e a crise de interferência política no processo educacional também integraram os debates.

O representante da União Estadual dos Estudantes, Eliel Timóteo, destacou a necessidade da liberdade de cátedra dos professores em sala de aula, e criticou a redução significativa dos investimentos públicos no ensino. “Temos tido recorrentes reduções dessas verbas destinadas ao ensino público. Reflexo disso veio com esse ENEM, que teve o menor número inscrito dos últimos anos no país”, disse Eliel.

Sintep-MT
Henrique Lopes, Presidente da CUT-MT

O presidente da Central Única dos Trabalhadores (CUT-MT), Henrique Lopes, falou na conferência sobre os enfrentamentos urgentes para a retomada de direitos. “Estou nesse momento no município de Campinápolis, interior de Mato Grosso, que tem uma das maiores populações indígenas do estado. Vim aqui justamente para fazer esclarecimentos sobre a importância do acesso à educação. Nós temos que nos organizar enquanto classe trabalhadora para impedir a implementação desse projeto de reforma do ensino médio já para o próximo ano, como o governo Bolsonaro quer. Isso, dentre outras defesas que precisamos fazer”, disse Henrique.

A condução do das discussões ficou por conta da coordenadora do Fórum Popular de Educação em Mato Grosso, a sindicalista Guelda Andrade.

Sintep-MT
Valdeir Pereira, Presidente do Sintep-MT

O presidente do Sindicato dos Trabalhadores no Ensino Público de Mato Grosso (SIntep-MT), Valdeir Pereira, destacou o desmonte do serviço público brasileiro. “O governo com toda sua tirania elegeu a educação para implementar uma política privatista e que, em Mato Grosso, vem seguindo a agenda bolsonarista com rigor. Temos o dever de fazer essas reflexões e nos organizar enquanto classe trabalhadora para fazer esse enfrentamento”, disse.

Sintep-MT
João Pedro Stédile- MST – RS

O palestrante convidado da noite foi João Pedro Stedile, que é um economista e ativista social brasileiro. Graduado em economia pela Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul e pós-graduado pela Universidade Nacional Autônoma do México. Atua na causa da Reforma Agrária, Agroecologia e das causas populares. Ele enfatizou que “só o conhecimento liberta verdadeiramente o ser humano”. “O que liberta as pessoas de todo tipo de exploração, de humilhação, é o conhecimento. Não basta ter terras, ter bens materiais, se não tiver educação, acesso ao conhecimento”, disse.

“Para mim é um privilégio participar de uma conferência como esta, ainda mais uma conferência que é popular. O conhecimento a que me refiro não é o elitista, que forma idiotas, e sim, aquele que é democratizado e que transforma vidas”, refletiu.

Na conjuntura política, o economista passeou por processos históricos na luta pelo poder político, até o resultado do que vivemos hoje, no país. “Nós preferimos adotar o conceito de poder político que se contrapõe ao fascismo. Não podemos nos resumir às disputas governamentais ou institucionais, uma vez que a disputa por poder político se faz em todas as esferas da sociedade, seja numa conferência como essa, seja numa roda de futebol, nas igrejas e em qualquer local onde se reúnam pessoas”, disse.

Autoridades políticas do estado como os deputados Lúdio Cabral (PT), Valdir Barranco (PT) também acompanharam a conferência.

Os debates seguem nesta quarta (24) e continuam com a programação virtual até sexta (26).

Confira as fotos da Etapa Estadual da CONEPE- 2021, Rumo a CONAPE- 2022.