Governo decide aprovar automaticamente os estudantes da rede estadual em 2021


Profissionais são surpreendidos com decisão unilateral da Seduc-MT, que desrespeita o trabalho dos educadores e compromete o trabalho pedagógico feito e a aprendizagem em 2022

Publicado: 21/12/2021 18:56 | Última modificação: // :

Escrito por: Assessoria/Sintep-MT

REPRODUÇÃO
Estudantes desistentes, transferidos e faltosos são aprovados automaticamente pela Seduc-MT

Em mais uma cartada de mão única do governo de Mato Grosso, a Secretaria de Estado de Educação (Seduc-MT) decide aprovar automaticamente todos os estudantes da rede estadual. A decisão surpreendeu os educadores nesta terça-feira (21/12) ao verem as notas finais dos estudantes padronizadas no Sistema Sigeduca, que estava parametrizado com média 6 para todos os matriculados.

Para o Sindicato dos Trabalhadores no Ensino Público de Mato Grosso (Sintep-MT) a incoerência do governo na educação é recorrente. Neste caso, especificamente, faz dois destaques. Primeiro, pela ausência de consulta à comunidade escolar, sem participação das escolas. Segundo, sem um planejamento eficaz da recuperação das aprendizagens para os estudantes em 2022. 

A indignação dos trabalhadores da educação da rede estadual revela a política de improvisação da atual gestão.  A aprovação automática dos estudantes desconsiderou o esforço a mais feito pelos profissionais que executaram o trabalho pedagógico para além do regular. " A medida  aprovou estudantes que sequer foram à escola, aqueles que foram transferidos e os desistentes”, cita a dirigente estadual e professora da rede, Maria Celma Oliveira.
 

Para o dirigente estadual do Sintep-MT, Henrique Lopes, “nem tanto o céu nem tanto a terra”. Segundo ele, no contexto da pandemia não é momento de se falar em aprovação ou reprovação dos estudantes.

Na avaliação de Henrique Lopes, o governo deveria fazer um pacto com os profissionais da educação pais de alunos e alunos para encontrar uma forma de fazer a recuperação dos estudantes. “O resgate dos estudantes é fundamental, e deve ser feito dentro de um processo de recuperação que dê conta de situar as condições de cada estudante para que possa voltar à normalidade da aprendizagem. E já existe legislação no estado para isso”, disse. 

Contudo, a conclusão do Sindicato é de que não haverá ação nenhuma, como já constatado durante o processo de aulas online, em que o governo poderia e deveria ter assegurado aos estudantes equipamentos e tecnologia para aulas remotas, e não o fez. “Essa é foi a forma do governo conseguir melhorar os índices de aprovação em Mato Grosso, aprovação automática”, comentaram os profissionais nas críticas feitas a arbitrariedade da gestão