Dia Mundial de Luta contra a Aids alerta para a importância do teste rápido


Nesta quarta-feira (1°) acontece o Dia Mundial de Luta contra a Aids e o início do Dezembro Vermelho, que visa alertar para a intensificação da testagem rápida junto às populações e vem sendo uma importante atividade para o enfrentamento do HIV/aids.

Publicado: 01/12/2021 10:58 | Última modificação: // :

Escrito por: Redação/CNTE

Reprodução

Promover o acesso aos teste rápidos, ampliar o número de pessoas que conheçam seu status sorológico e ofertar o tratamento imediatamente após o diagnóstico é parte essencial do enfrentamento da doença.

Um dos fatores que impedem que as pessoas façam o teste para descobrir se estão infectadas e, no caso de diagnóstico positivo, de iniciar um tratamento rápido, gratuito e adequado é o tabu que envolve o HIV/aids.

A aids

Ter o HIV não é o mesmo que ter aids. Há muitos soropositivos que vivem anos sem apresentar sintomas e sem desenvolver a doença, mas podem transmitir o vírus a outras pessoas pelas relações sexuais desprotegidas, pelo compartilhamento de seringas contaminadas ou de mãe para filho durante a gravidez e a amamentação, quando não tomam as devidas medidas de prevenção. Por isso, é sempre importante fazer o teste e se proteger em todas as situações.

Centros de Testagem e Aconselhamento (CTA)

O Centro de Testagem e Aconselhamento (CTA) atende toda comunidade com dúvidas em relação a sua condição sorológica para o HIV e outras infecções sexualmente transmissíveis (IST), também conhecidas como DST (Doenças sexualmente transmissíveis).

O atendimento é gratuito e se dá tanto a demanda espontânea ou por encaminhamento de outros serviços de saúde.

AQUI estão cadastrados os serviços de saúde e organizações da sociedade civil que realizam ações de assistência, prevenção, diagnóstico e tratamento às pessoas vivendo com HIV e aos demais cidadãos.

No Brasil há, atualmente, 476 Centros de Testagem e Aconselhamento (CTAs) cadastrados pelo Departamento de Doenças de Condições Crônicas e Infecções Sexualmente Transmissíveis do Ministério da Saúde.

>> Confira a tabela com os CTAs aqui

Deu positivo. E agora?

O Programa Conjunto das Nações Unidas sobre HIV/AIDS (UNAIDS) e a Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura (UNESCO) se uniram para criar a plataforma online "Deu Positivo, e Agora?", um site que reúne informações em linguagem acessível, com foco em jovens que acabaram de receber diagnóstico positivo para o HIV.

Isso porque o número de casos de aids entre jovens de 15 a 24 anos tem crescido nos últimos dez anos: as taxa de detecção de casos entre jovens do sexo masculino nesta faixa etária mais que dobraram em uma década: 3 para 7 casos por 100 mil habitantes (15 a 19 anos) e de 15,6 para 36,2 casos por 100 mil habitantes (20 a 24 anos), segundo o Boletim Epidemiológico de HIV 2018, divulgado pelo Ministério da Saúde. Entre mulheres, as taxas têm mostrado uma tendência de queda em quase todas as faixas etárias.

Adesão ao tratamento

O Brasil tem uma das maiores coberturas de tratamento antirretroviral entre os países de renda média e baixa. Apesar disso, a adesão ao tratamento disponível gratuitamente pelo Sistema Único de Saúde (SUS) ainda é um desafio. Das pessoas estimadas vivendo com HIV no país, 84% já fizeram o teste de HIV; destas, 75% estão em tratamento para o HIV; e, dentro deste grupo de pessoas em tratamento, cerca de 92% apresentam carga viral indetectável.

A Hora é Agora

Com o objetivo de responder a uma necessidade de ampliação do acesso à testagem e tratamento para populações-chave de homens que fazem sexo com homens (HSH) em que a epidemia do HIV estava crescendo, foi lançado, em dezembro de 2014, o projeto “A Hora é Agora” (AHA), em Curitiba.

Atualmente, além da capital paranaense, o projeto foi ampliado para Campo Grande, Florianópolis e Porto Alegre. Os objetivos desta fase do “A Hora É Agora” são a prevenção e diagnóstico por meio de testagem regular para o HIV e outras IST, profilaxia pré-exposição sexual (PrEP), profilaxia pós-exposição sexual (PEP), tratamento imediato do HIV, IST e infecções oportunistas com suporte de linkadores e busca ativa de usuários em abandono de tratamento.

>> Saiba mais sobre A Hora é Agora aqui

Sobre a data

O Dia Mundial de Luta contra a Aids foi instituído pela Organização Mundial da Saúde (OMS) como forma de despertar a necessidade da prevenção, promover o entendimento sobre a pandemia e incentivar a análise sobre a aids pela sociedade e órgãos públicos.

No Brasil, a data começou a ser comemorada a partir da Constituição Federal de 1988, envolvendo os governos federal, estaduais, distrital e municipais e organizações sociais.