Conape-MT defende redemocratização do país e novo PNE como garantia de uma Nação soberana


Conferencistas concluem trabalhos, elegem os delegados e fazem a defesa do lema da Conape 2022: Educação pública e popular se constrói com democracia e participação social: nenhum direito a menos e em defesa do legado de Paulo Freire.

Publicado: 29/11/2021 11:59 | Última modificação: // :

Escrito por: Assessoria/Sintep-MT

Os debates virtuais da Conape-MT apresentaram número de participantes superior a edição de 2018

Mais de 30 delegados foram eleitos no encerramento da Conferência Nacional Popular de Educação, etapa Mato Grosso (Conape-MT). Os eleitos representarão o estado na conclusão do documento na etapa nacional, de 15 a 17 de julho, em Natal (RN), em 2022.

A plenária final, que ocorreu dia 23, na sexta-feira de forma virtual, a Conferência foi realizada entre 23 e 26 de novembro de 2021, registrou cerca de 400 presentes na sala virtual. Juntos deliberaram sobre adição e substituições ao texto-base “Reconstruir o País: a retomada do Estado democrático de direito e a defesa da educação pública e popular, com gestão pública, gratuita, democrática, laica, inclusiva e de qualidade social para todos/as/es”, que foi trabalhado em seis eixos temáticos.

A Conape é o movimento dos trabalhadores da educação, estudantes e classe trabalhadora, para a construção da Educação Pública com garantia das necessidades e atendimento à diversidade do povo brasileiro. Diferente da Conape 2018, este ano os debates fazem frente a um cenário político ainda mais desafiador, reacionário e crítico. Diante disso, a discussão se configura em sinônimo de resistência popular.

Para a coordenadora do Fórum Estadual Popular de Educação (FEPE), e dirigente estadual do Sindicato dos Trabalhadores no Ensino Público de Mato Grosso (Sintep-MT), Guelda Andrade, a realização da Conferência demandou muito esforço, que contou com colaboração de todos para a realização de 12 etapas municipais e 14 regionais, com participação de aproximadamente 800 pessoas.

Guelda Andrade coordenadora do FEPE-MT

“A Conape é sinônimo de resistência, trás nossos conceitos de educação, democracia, valorização profissional, direitos humanos, conceitos estes que garantem dignidade ao povo brasileiro. Temos claro que os projetos de Nação e o projeto de Educação são interdependentes, um não é possível sem o outro. Não se tem uma Nação soberana sem investimentos sólidos em educação de qualidade para todos e todas”, reafirmou a coordenadora Guelda Andrade.

No mesmo tom de defesa, a vice-coordenadora do FEPE, a professora Heloísa Gentil, destacou a Conape como um “espaço a ser ocupado para proposição daqueles e daquelas que estão na Educação e não em gabinetes”.

Durante o encerramento foram lidos manifestos de repúdio dos diferentes segmentos da educação representados, os profissionais da Educação Básica apresentaram Moções de Repúdio ao governo Mauro Mendes, em que denunciam o desmonte da educação por meio de uma política de redimensionamento, que desrespeita os preceitos da LDB.

Professora Marilda Costa da coordenação do FEPE-MT  

Em outra nota, manifestam o desacordo e a indignação com os ataques feitos à carreira dos trabalhadores da educação na rede estadual; listam os impactos que as políticas educacionais adotadas promovem no chão da escola; e, as implicações nos profissionais das redes municipais. E ainda, desprezam a tentativa de privatização da educação e o ataque a educação como direito social.

Mais duas notas foram elaboradas, ainda repudiando a atuação do governo Mauro Mendes no Ensino Superior e na Educação Técnica Profissionalizante. As moções descatam o desrespeito aos investimentos com interferência nos recursos da Universidade do Estado de Mato Grosso (Unemat) e, em outra, a precarização das Escolas Técnicas   Profissionalizantes (ETP’s ).

No encerramento dos trabalhos foi aprovada a Carta Aberta de Mato Grosso, um manifesto à sociedade em que são esclarecidas as diferentes ações do governo do estado e do governo federal para impor uma agenda de Educação que precariza a qualidade do ensino em detrimento dos interesses da iniciativa privada, que limitam o acesso ao conhecimento, agravando ainda mais o quadro da desigualdade social no estado e no país. Lutemos por duas melhores!

Confira as fotos da Etapa Estadual da CONEPE- 2021, Rumo a CONAPE- 2022.