CEDM realiza ato em Cuiabá pelo Fim da Violência contra Mulher


Os dados expostos durante o manifesto revelaram aumento no número de feminicídios, com destaque para Cuiabá

Publicado: 01/12/2021 16:50 | Última modificação: // :

Escrito por: Assessoria/Sintep-MT

Sintep-MT
Integrantes do CEDM participam de ato público na programação dos 21 Dias de Ativismo pelo Fim da Violência contra as Mulheres

O Conselho Estadual dos Direitos da Mulher de Mato Grosso (CEDM-MT) realizou ato na Praça Alencastro, em Cuiabá, nesta quarta-feira (01/12), dentro da programação dos “21 dias de Ativismo pelo Fim da Violência Contra a Mulher”. Os dados expostos durante o manifesto revelaram aumento no número de feminicídios, com destaque para Cuiabá, que registrou quatro casos, sendo que não houve nenhum em 2020. Mesmo com o ano não concluído, os dez primeiros meses já notificaram 40 assassinatos contra mulheres no estado.
 

Para a dirigente do Sindicato dos Trabalhadores no Ensino Público de Mato Grosso (Sintep-MT), e suplente pelo Sintep-MT no CDEM, Sidinei Cardoso, os atos públicos que ocorrem anualmente e as manifestações recorrentes em defesa das mulheres, são responsáveis pelos avanços das políticas de direitos e a criação de leis que penalizam os infratores. 

Segundo Sidinei, a luta é permanente pois a mudança só ocorrerá quando o machismo estrutural for desconstruído na sociedade. “A Educação tem um papel fundamental no processo de desconstrução do papel de gêneros na sociedade. As mulheres são diferentes sim, mas nem por isso inferiores. E para isso é preciso que as escolas debatam o tema, e as meninas e adolescentes internalizem esse conceito de igualdade de gênero”, disse.
 


A atividade do CEDM apresentou dados alarmantes, que revelam a violência contra as mulheres e o fato do maior número de mortes serem de mulheres negras. Cartazes espalhados registravam os dados de assassinatos da população de mulheres cuja a  maioria é negra, e ainda destacando que, 56% dos casos de feminicídios ocorreram dentro da própria casa. "O que significa que o assassino é a pessoa com quem elas tinham um relacionamento afetivo”, observa Sidinei.

Os 21 Dias de Ativismo pelo Fim da Violência Contra as Mulheres, movimento internacional que reúne 159 países, entre os quais o Brasil, começou a contar a partir do dia 20 de novembro – Dia da Consciência Negra e se encerra na celebração dos Direitos Humanos (10 de dezembro).